Artigos

Minha experiência na EF

Por: Ticina Nogueira


Fui aluna da Escola de Formação em 2002, quando cursava o terceiro ano da faculdade de direito. Além da intuição de que ainda era cedo pra estagiar em um escritório de advocacia, optei pela EF porque buscava ampliar os meus conhecimentos na área de Direito Publico, mas acabei conseguindo muito mais do que isso.

Minha experiência como aluna da EF foi definitiva para a minha formação. As discussões com os professores convidados e o foco em pesquisa de jurisprudência, ao invés da mera repetição da doutrina, mudaram minha visão sobre o direito. Aprendi que, ao contrário do que se costuma presumir, não é possível ser de fato um bom profissional na área jurídica recorrendo só à pratica. Não é possível compreender o direito e lidar com os problemas jurídicos de forma adequada prescindindo de postura critica e uma sólida base teórica.

De fato, foi como aluna da Escola de Formação que decidi que iria seguir a carreira acadêmica quando terminasse a faculdade. Atualmente sou mestranda em Direito do Estado na Universidade de São Paulo e estou cursando o LL.M. em Harvard.

Além disso, o que vivenciei na Escola de Formação tem contribuído para tornar ainda mais enriquecedora minha experiência em Harvard. O ambiente acadêmico que eu encontrei aqui não difere muito daquele que se cria na EF, não só em função da semelhança do método, mas também em razão do espírito crítico e da abertura a discussão características marcantes de ambos os lugares. Ambas instituições buscam prover o aluno com o conhecimento teórico necessário para a análise completa de um caso prático em todas suas implicações pois, somente com o domínio dos princípios e normas que hão de guiar a resolução de um determinado caso prático, é que se pode elaborar uma resposta juridicamente fundamentada..

Assim, não foi difícil, por exemplo, me adaptar ao modelo de ensino americano, que, tal como a Escola de Formação, é estruturado por meio da análise de casos práticos. Com efeito, ao focar a aprendizagem na análise da jurisprudência, a EF abre muito espaço para que os alunos participantes possam exercer seu espírito crítico, debatendo as nuances de cada caso em minúcias que a mera leitura do caso não possibilita. Em Harvard vi que o debate é também muito valorizado, fazendo parte essencial e indispensável do bom desempenho acadêmico de um aluno.

O mais importante é que esse relato não deve ser lido como um fato isolado. Pelo contrário. Muitos outros ex-alunos da EF, que também continuaram seus estudos em mestrados e doutorados tanto no Brasil como no exterior, também viveram ou estão vivendo experiências semelhantes, o que faz dessa uma grande marca da EF: inspirar seus alunos a dar prosseguimento a sua formação.


 

CURSOS

Quar

09

Ago

2017

Escola de Formação Pública 2017 - 2º semestre

Coord: Guilherme Forma Klafke

quartas e sextas, das 14h00 às 16h00